quinta-feira, 10 de novembro de 2016

DUVIDAS DE BIOLOGIA




PERGUNTAS  E RESPOSTAS  BIOLÓGICAS

1.   O que você entende por  Sinapomorfia  ?

Resposta:  
          Para  responder esta resposta é importante que saibamos o  que é  APOMORFIAS .
Apomorfias, são características atuais que são derivadas de
 características primitivas de uma espécie ancestral. 

      
       Já as Sinapomorfias, o prefixo "sin" indica que uma determinada apomorfia é compartilhada por um determinado  grupo. 

        Ex.: as mamas nos mamíferos. 


2.   O que  Cladograma ?

Resposta:    
-   Cladograma ou  Árvores Filogenéticas, é a representação gráfica das relações e da evolução dos seres vivos de um determinado grupo com a forma de árvore ramificada.
-  Um cladograma é um diagrama usado em cladística que mostra as relações ancestrais entre organismos, para representar a árvore da vida evolutiva.
-  É um diagrama em forma de árvore ramificada, usada  como representação  de relações filogenéticas entre seres vivos.




sexta-feira, 30 de setembro de 2016

MODELO PARA ATIVIDADES COMPLEMENTARES


DECLARAÇÃO PARA COMPROVAÇÃO DE
ATIVIDADES COMPLEMENTARES


            Devido a observação de que várias pessoas  tem procurado um modelo objetivo e claro de  Declaração de Comprovação de Atividades Complementares, e como não tenho observado nas apresentações destes um modelo uniforme  e  claro, resolvi  postar um modelo que me parece de boa qualidade e bem simples.
         Hoje em dia é muito comum algumas disciplinas do curso  universitário solicitarem tal documenta aos alunos.

        Espero que essa iniciativa  venha facilitar e ajudar  a  todos que precisem  deste simples e objetivo comprovante.
        
        Eis o simples e objetivo formulário:



   DECLARAÇÃO PARA COMPROVAÇÃO DE
ATIVIDADES COMPLEMENTARES

 
1º .  EXEMPLO


                  


DECLARAÇÃO PARA COMPROVAÇÃO DE
ATIVIDADES COMPLEMENTARES



      Declaro, para os devidos fins acadêmicos, que o aluno (a)  

_________________________________________________,

regularmente  matriculado no  _____ período do curso de

_____________________________________________________________________

(Matricula n˚ _____________________ ), participou da seguinte atividade: 

____________________________________________________________
                                      (descrição da atividade)

promovida  pela entidade  ______________________________________

com carga horária de ______ horas.

   _________________, ____ de ___________________ de 20_____.
                                       (   local data  )

Atenciosamente,

___________________________________________________________
                      Assinatura do responsável pela atividade

Válido apenas com carimbo ou papel timbrado da instituição promotora da atividade



2º  EXEMPLO


MODELO PARA ATIVIDADES ACADÊMICAS ESPECIAIS
 




Local :__________________________________________________



Data  :______/_____/____________








      DECLARAÇÃO PARA ATIVIDADES ACADÊMICAS ESPECIAIS



    Declaro para os devidos fins que o aluno(a)________________________________

sob o nº de matrícula _____________________ na(o)   _______________ no

Curso  de  ______________________ realizou a atividade _____________________

__________________________________  no local____________________________

______________________ correspondente a carga horária de ______ hora(s).




                                         
                                                        Atenciosamente,




                                                  __________________________________________
                                                        Carimbo e Assinatura

 





      MODELO DE DECLARAÇÃO DE  UNIÃO ESTÁVEL
  
 Devido a exigência cada dia mais constante de comprovação 
de união estável em todos os seguimentos da sociedade, deixo um modelo simples de comprovação desta sociedade conjugal.



DECLARAÇÃO DE  UNIÃO ESTÁVEL





                       ___________,  ____ de ___________ de 2016      

              ( Nome do Estado )





  Eu,  ______________________________________  inscrito no

                ( nome do  companheiro )                                               

CPF sob o Nº. __________________________.
                              ( número do CPF )

          DECLARO em sã consciência que sou companheiro  da 

Sr. (a)  __________________________________  ,  inscrita   no
                     ( nome da companheira )

CPF sob o Nº  ______________________________,  afirmando 
                             ( número do CPF )

que convivo maritalmente  com  a mesma , como se casados

fossemos, durante  ______    anos, até a presente data, união 

com  filhos.


______________________________________
                           Assinatura


______________________________________
                           Assinatura

Testemunhas:

1)Nome: _______________________________________________

Identidade:____________________  CPF:  ________________


2) Nome:_______________________________________________

Identidade:___________________ CPF: __________________



   
  Observação :

          Deve-se reconhecer a firma de ambos companheiros .

 Exemplo :

 
DECLARAÇÃO DE  UNIÃO ESTÁVEL





            XXXXXXXXXX , DD de  MMMM  de 201X      

             





  Eu,  Físico Artes Plásticas,  inscrito no CPF sob o Nº. 000000000=00.

                             
          DECLARO em sã consciência que sou companheiro  da  Sr. (a)  Biologia Salvando Vidas ,  inscrita   no CPF sob o Nº  111111111111111-11,  afirmando  que convivo maritalmente  com a mesma , como se casados fóssemos, durante  X  anos, até a presente data, união  com  filhos.

______________________________________
                           Assinatura

______________________________________
                           Assinatura

Testemunhas:

1)Nome: ____________________________________________

Identidade:____________________  CPF:  ________________


2) Nome:_____________________________________________

Identidade:___________________ CPF: __________________




     




segunda-feira, 20 de junho de 2016

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA EXAMES



Preparo para Exames   Básicos

Recomendações Para Exames

A seguir são apresentadas as principais recomendações e orientações para a coleta de sangue, urina, fezes e outras secreções :

A.   EXAME DE  SANGUE   



Coleta de sangue

  Glicemia em jejum
  Glicemia pós-prandial
  Curva glicêmica
  Colesterol e triglicérides
  Hemograma
  Outros exames de sangue



CORES DAS TAMPAS DOS FRASCOS 
  PARA OS EXAMES MAIS COMUNS





JEJUM

   Jejum, para exames de laboratório, significa que a pessoa ficará sem ingerir alimentos de qualquer tipo durante um número de horas determinado.
   É permitida a ingestão de água e de medicamentos de uso contínuo, desde que o laboratório não especifique o contrário.

   Há uma grande quantidade de exames de sangue e alguns não necessitam jejum, entretanto há outros em que o jejum é obrigatório.

GLICEMIA EM JEJUM

 

Material a ser coletado: plasma.
Como coletar:
O paciente deve se dirigir ao laboratório pela manhã em jejum de no mínimo 8 horas e no máximo 14 horas.
Pode ingerir apenas água.

 

GLICEMIA PÓS-PRANDIAL 

 

Material a ser coletado: Plasma, 2 horas após o almoço.


Como coletar:


O paciente pode tomar os seus medicamentos normalmente, nos
horários estabelecidos.

O paciente pode almoçar a quantidade de costume. Quando terminar o almoço, aguardar 2 horas (não comer nem beber nada, a não ser água).

A coleta do sangue será feita 2 horas após o término do almoço (até 15 minutos de atraso é tolerado).
 

 

COLESTEROL E TRIGLICÉRIDES 


Material a ser coletado:

soro, com 12 horas de jejum.
Exames a serem realizados: colesterol total e frações (HDL, LDL, VLDL), triglicérides,  lipídios totais e lipidograma.


Como coletar: 

O paciente deve se dirigir ao laboratório pela manhã, em jejum de pelo menos 12 horas.


Pode beber água livremente.


O jantar do dia anterior à coleta deve ser leve (evitar frituras e outros alimentos gordurosas).
Não ingerir bebidas alcoólicas.

 

HEMOGRAMA COMPLETO 

Material a ser coletado:
- sangue total.


Como coletar:


Ir ao laboratório pela manhã para a coleta de sangue.
O jejum não é necessário.




B.  COLETA DE ESCARRO

1.  Pela manhã, fazer a higiene oral, podendo escovar os dentes, tomando o cuidado de enxaguar bem em seguida.

2.  2. Deve-se respirar profundamente e, então, tossir expectorando conteúdo broncoalveolar. Não colher saliva.

3.  3. Colher o material em frasco estéril, de tampa rosqueável fornecido pelo Laboratorio São Marcos. Identificar o frasco com o nome, a data e a hora da coleta.

4.  4. Observar se a amostra está adequada (conteúdo broncoalveolar – escarro – e não saliva). Em caso de dúvida solicitar nosso profissional da coleta a avaliação do material.


Coleta de fezes 

 

 

 

  Parasitológico de fezes
  Cultura de fezes
  Pesquisa de sangue oculto nas fezes
  Pesquisa de rotavírus nas fezes

 

PARASITOLÓGICO DE FEZES 

Material  a ser coletado : fezes. 


Exame a ser realizado: exame parasitológico (para detecção de protozoários e helmintos).


Como coletar:

Utilizar para coleta a pazinha que acompanha o coletor, retirando, quando for o caso, as partes que se mostram allteradas com muco, sangue, etc. Não há necessidade de encher coletor.

Pode-se coletar a qualquer hora do dia, guardando as fezes geladeira, quando a entrega for no dia seguinte.

Caso o médico solicite o exame com 2, 3, ou mais amostras de fezes, deve-se
coletar uma amostra por dia, em dias consecutivos ou em intervalos maiores (conforme orientação médica) levando-as no mesmo dia ou no máximo no dia seguinte ao laboratório.

 

CULTURA DE FEZES 


Material a ser coletado fezes recém-colhidas.


Exames a serem realizados: cultura de fezes (coprocultura) e antibiograma.
Como coletar:


Utilizar para coleta a pazinha que acompanha o coletor, retirando, quando for o caso, as partes que se mostram allteradas com muco, sangue, etc. Não há necessidade de encher coletor.

Pode-se coletar as fezes a qualquer hora do dia, porém, assim que coletar
deve-se levar ao laboratório até no máximo em 1 hora.

Não guardar em geladeira.

 

PESQUISA DE SANGUE OCULTO NAS FEZES 

 

Material a ser coletado: fezes recém-colhidas.


Recomendações: nos 3 dias que antecedem a coleta das fezes, o paciente não poderá:


Tomar laxante; fazer uso de contraste radiológico por via oral.


Comer carne, nem derivados, inclusive caldos, extratos ou molhos que as contenham.


Comer beterraba, rabanete, nabo, couve-flor, brócolis, couve, espinafre, alface, agrião, almeirão, feijão.


Comer chocolate.


Ingerir bebidas alcoólicas.
Tomar medicamentos como anti-inflamatórios, corticóides, aspirina, AAS, ferro
e vitamina C.


Usar palitos de dentes e fio dental.


Ter cuidado durante a escovação dos dentes para evitar sangramento gengival.


A contaminação das fezes com sangue de qualquer outra natureza, como aquele decorrente de hemorróidas ou menstruação, torna o teste inválido.

 

PESQUISA DE ROTAVÍRUS


Material a ser coletado: fezes recém-colhidas.
Exame a ser realizado: pesquisa de rotavirus nas fezes.


Como coletar:


Coletar as fezes de preferência quando líquidas.
Pode-se coletar as fezes a qualquer hora do dia, porém, assim que a coleta for feita, deve-se levar ao laboratório em no máximo 1 hora.


Não guardar as fezes na geladeira.


C.  COLETA DE FEZES – MIF





1.  Utilizar recipente fornecido pelo Laboratório ou comprado na farmácia (frasco plástico com conservante).

2. Coleta deverá ser feita em dias consecutivos ou alternados.

3. Colocar todas as amostras dentro do mesmo frasco, até obter o número de coletas desejado. O volume total de amostras não deve ultrapassar o volume do líquido.

4. Retirar pequenas frações de fezes em diferentes partes do bolo fecal (início, meio e fim), de todas as coletas.

5. Com a pazinha que vem dentro do frasco, misturar as fezes com o líquido, para que as mesmas fiquem totalmente cobertas pelo conservante. Não é necessário colocar na geladeira.

6. Feche adequadamente o frasco para que não vaze o material no transporte até uma das unidades do Laboratório São Marcos. O conservante tem validade de 7 dias após a mistura das fezes no mesmo.

7. O conservante MIF não pode ser ingerido e deve ser mantido longe do alcance das crianças.




 D.   EXAME PARAZITOLÓGICO COMUM DAS FEZES





1.  Utilizar recipiente fornecido pelo Laboratório ou comprado na farmácia (frasco plástico comum).
 
2. A amostra poderá ser coletada em qualquer horário e, preferencialmente, entregue à Unidade do Laboratório São Marcos mais próxima em até 2 horas. Se não for possível cumprir este prazo, conservar a amostra em geladeira até a entrega no laboratório com prazo máximo de 12 horas.

3. Defecar em um recipiente limpo de boca larga ou sobre papel toalha.
 
4. Usando uma pazinha, coletar várias porções das fezes e colocar no frasco fornecido pelo Laboratório São Marcos.

5. Identificar com o nome completo e a data.



E.  GLICEMIA PÓS-PRANDIAL


1.  A alimentação do dia deve ser a de costume.
 
2. Anotar o horário do início do almoço (1ª garfada).

3. Almoçar em até 20 minutos, no máximo.

4. Não ingerir nenhum tipo de alimento após o almoço até o horário da coleta – apenas água é permitido.

5. Chegar ao laboratório 15 minutos antes da coleta para que o sangue seja colhido exatamente 2 horas após o início do almoço, o atraso invalida o exame.


F.     URINA PARA TODAS AS IDADES

Coleta de urina


  Coleta de urina para mulheres
  Coleta de urina para homens
  Coleta de urina para crianças menores de 8 anos
  Coleta de urina para bebês
  Coleta de urina de 24 horas





 

COLETA DE  URINA PARA MULHERES

Material a ser coletado: urina (jato médio).


Exames a serem realizados: exame sumário de urina, urocultura, bacterioscopia e antibiograma.


Como coletar: 


Coletar (em frasco/saco coletor estéril) preferencialmente a primeira urina da manhã ou urina com no mínimo 2 horas de intervalo após última micção.


Remover toda a roupa íntima, sentar afastando as pernas o máximo que puder.


Afastar os grandes lábios com uma das mãos, mantendo-os afastados durante a limpeza e coleta da urina.


Usando gaze com sabonete neutro, fazer higiene da região genital e anal.


Enxaguar e secar usando gaze limpa.


Desprezar o primeiro jato de urina e colher o restante diretamente no frasco / saco, segurando-o pela parte externa.
Enviar a urina ao laboratório até uma hora após a coleta.


Não guardar a urina na geladeira.


Não fazer uso de contraste radiológico nas 48 horas antes do exame.

 

COLETA DE URINA PARA HOMENS

Material a ser coletado: urina (jato médio).


Exames a serem realizados: exame sumário de urina, urocultura, bacterioscopia e antibiograma.


Como coletar:


Lavar as mãos com água e sabão antes da coleta.


Remover as roupas íntimas


Lavar o pênis com água e sabonete, exteriorizando a glande
(afastando a pele que a recobre). Enxugar.


Desprezar o primeiro jato de urina. Coletar o restante diretamente
no coletor.


Levar a urina ao laboratório, até 1 hora após a sua coleta.


Não guardar a urina na geladeira.

 

 

 

COLETA DE URINA PARA CRIANÇAS MENORES DE 8 ANOS 


Material a ser coletado: urina de jato médio. 


Exames a serem realizados: exame sumário de urina, urocultura, bacterioscopia e antibiograma.


Como coletar: 


Não fazer uso de pomadas no dia anterior a coleta de urina. 


Coletar a urina seguindo todas as recomendações anteriores.


Recomenda-se em caso de dúvida, que a coleta de urina seja feita no laboratório para evitar contaminação e resultados incorretos.

 

COLETA DE URINA PARA BEBÊS


Material a ser coletado: urina.


Exames a serem realizados: exame sumário de urina, urocultura, bacterioscopia e antibiograma.


Como coletar: 


Não fazer uso de pomadas no dia anterior a coleta de urina.


Fazer a limpeza conforme orientação anterior. Usar coletor plástico com adesivo. Em caso de dúvida, fazer a coleta no laboratório para evitar contaminações.

 

COLETA DE URINA DE 24 HORAS 

 

Material a ser coletado: urina de 24 horas. 


Exames a serem realizados: dosagem de ácido úrico, de creatinina, de uréia, de cálcio, de fósforo,  clearence de creatinina,  proteinúria de 24 horas, microalbuminúria, etc.


Como coletar:


Desprezar todo o volume de urina da primeira micção da manhã e anotar o horário.


Começar a coleta a partir da segunda micção, colhendo todo o volume de urina do dia e da noite, até a segunda micção do dia seguinte no horário pré-determinado.


Manter a urina na geladeira, durante toda a coleta.


Ingerir a quantidade de água de costume durante o dia da coleta.


Evitar o uso de medicamentos no dia da coleta. Caso contrário, comunicar ao laboratório.




G.     URINA  COMUM – PRIMEIRO JATO


1.  Utilizar recipiente fornecido pelo Laboratório São Marcos (frasco plástico estéril).

2. Antes de realizar a coleta da urina, fazer a limpeza das mãos com água e sabão.
 
3. Realizar uma limpeza rigorosa da região genital (pênis ou vagina), ensaboando bem.

4. Enxaguar com bastante água e enxugar com uma tolha limpa.

5. Colher o Primeiro Jato da primeira urina da manhã. Opcionalmente pode-se colher o primeiro jato após retenção urinária mínima de 4 horas.
 
6. Volume necessário: aproximadamente 20 ml de urina.

7. Colher preferencialmente no Laboratório São Marcos.

8. Tampar bem, identificar com o nome completo e levar à Unidade do Laboratório São Marcos mais próxima em até 2 horas no máximo, caso tenha colhido o material fora das dependências do laboratório.


G.   URINA DAS 24 HORAS 


1.  Ao levantar pela manhã, esvazie a bexiga e despreze toda urina no vaso.
2. Marque a hora e os minutos com precisão.
 
3. Deste momento em diante, todas as vezes que urinar, durante o dia e à noite, as urinas coletadas devem ser armazenadas no frasco da urina de 24 horas.

4. No dia seguinte, ao levantar, urine na mesma hora em que esvaziou a bexiga no dia anterior, guarde essa urina também no frasco.

5. Todo material (urina) coletado deve ser enviado ao laboratório, sem perda de nenhuma amostra. Caso em algum momento houver perda, desprezar toda urina e recomeçar a coleta em outro frasco .

6. Confira se a amostra deve ser ou não condicionada sob refrigeração (2º a 8ºC). Esta informação é fornecida no ato do atendimento.
     
      

  H.  URINA DE ROTINA, UROCULTURA E GRAM DE GOTA


1. Utilizar recipiente fornecido pelo Laboratório São Marcos (frasco plástico estéril).

2. Antes de realizar a coleta da urina, fazer a limpeza das mãos com água e sabão.

3. Realizar uma limpeza rigorosa da região genital (pênis ou vagina), ensaboando bem.
4. Enxaguar com bastante água e enxugar com uma tolha limpa.

5. Colher, de preferência, a primeira urina da manhã. Caso não seja possível, colher amostra de urina que tenha permanecido pelo menos 4 horas retida na bexiga.

6. Os homens devem puxar a pele que recobre o pênis para trás e as mulheres devem separar bem os grandes lábios da vagina.
 
7. Desprezar o primeiro jato de urina no vaso sanitário. Após alguns segundos, preferencialmente sem interromper a micção, coletar a porção média do jato urinário diretamente no frasco.

8. Tampar bem, identificar com o nome completo e levar à Unidade do Laboratório São Marcos mais próxima em até 2 horas, no máximo.  



I.  PROLACTINA


1.  Manter no mínimo 8 horas de repouso anteriores à coleta.

2. Evitar esforços físicos intensos, ginástica matinal e relação sexual nas últimas 24 horas anterior a coleta.

3. A coleta deve ser realizada preferencialmente até as 10:00 hs da manhã.

4. Ao chegar ao laboratório, o cliente deverá aguardar no mínimo 30 minutos em repouso, assentado, antes de realizar a coleta.


J.  PSA    /
 FOSFATASE ÁCIDA PROSTÁTICA /
 FOSFATASE  ÁCIDA TOTAL


1.  Nos dias anteriores a coleta da amostra de sangue, devem ser seguidos os critérios:

• Não fazer exercícios pesados pelo menos por 01 dia (andar á cavalo, bicicleta ergométrica, etc.).

• Não manter relação sexual por 2 dias.

• Não ter feito toque retal ou sondagem uretral há menos de 03 dias.

• Não ter feito ultrassom trans-retal há menos de 07 dias.

• Não ter feito colonoscopia há menos de 15 dias.

• Não ter feito biópsia de próstata há menos de 30 dias.


2. Se ocorrer alguma das hipóteses acima, esperar completar o tempo para a coleta da amostra.



K.    COLETA DE SECREÇÕES


 Coleta de secreção vaginal
  Coleta de secreção uretral
  Coleta de outras secreções

 

COLETA DE SECREÇÃO VAGINAL


Material a ser coletado: secreção vaginal.


Exames a serem realizados: cultura de secreção vaginal, antibiograma, exame a fresco e bacterioscopia.



Como coletar:


Não usar antisséticos ou cremes vaginais e antibióticos nas 72 horas que antecedem a coleta (salvo sob orientação médica).


A paciente não deverá estar menstruada.


A paciente não deverá ter tido relações sexuais nas 48 horas que antecedem a coleta.


A paciente deverá se dirigir ao laboratório pela manhã, sem urinar e sem ter feito higiene íntima.

 

COLETA DE SECREÇÃO URETRAL


Material a ser coletado: secreção uretral.


Exames a serem realizados:
 cultura de secreção uretral com antibiograma, bacterioscopia, exame a fresco.



Como coletar:


O paciente não deverá estar usando antibióticos há pelo menos 48 horas antes da
coleta da secreção.


O paciente deverá se dirigir ao laboratório pela manhã sem urinar e sem ter feito qualquer higiene íntima.
Para a coleta de: secreção de orofaringe, secreção de abscesso, secreção ocular, etc. para cultura com antibiograma e bacterioscopia, o paciente deverá entrar em contato com o laboratório para orientação especifica para cada tipo de secreção .

 

EXAMES DO ESPERMA


Material a ser coletado: esperma.


Exames a serem realizados: espermograma, cultura de esperma, bacterioscopia, etc.


Como coletar:  


Fazer abstinência sexual de no mínimo 3 dias para posterior coleta de esperma.


A coleta deverá ser realizada pela manhã (entre 7:00 e 8:30 hs), de segunda a sexta-feira, de preferência no laboratório. Se não for possível, seguir rigorosamente o tempo de envio ao laboratório.
Lavar o pênis com água e sabonete. Urinar previamente e depois coletar, por masturbação, todo o volume de esperma de uma ejaculação, diretamente no frasco coletor.

Não coletar o esperma em preservativo, pois o látex interfere com a viabilidade dos espermatozóides.
 


Anotar o horário da coleta e enviar o esperma ao laboratório até 30 minutos após a coleta.
O material deve ser protegido contra temperaturas extremas (menos de 20º C e mais de 40º C) durante o transporte até o laboratório.
Comunicar ao laboratório se foi feito vasectomia e há quanto tempo. 



       VEJAMOS A SEGUIR   UMA ORIENTAÇÃO 
    PARA PREPARO DE PACIENTE  ALÉRGICO A IODO






            

O QUE É TAP / PTT ?


 


  Tempo de protrombina (TP ou TAP) e tempo de tromboplastina ativada (TTP ou PTT)

Este exame laboratorial tem como objetivo medir a velocidade da coagulação do sangue.
Quanto mais tempo demorar, mais facilmente ocorrerão hemorragias. Para realizar este teste, o exame começa por estimular as plaquetas e os fatores de coagulação, medindo o seu funcionamento e o tempo que leva até o sangue coagular.
Outra forma de avaliar esta velocidade é através do INR.

 

VEJAMOS

 

O TAP (tempo de protrombina ativada) e PTT (tempo de tromboplastina parcial) :

São exames que medirão o tempo que o sangue demora em coagular e é muito utilizado em pré-operatórios e quando o paciente apresenta sangramento, ou  em outras suspeitas clínicas. 

A cascata da coagulação inicia-se com a ativação das plaquetas e é completada pela ação dos fatores da coagulação. Logo, o TAP / PTT vai medir esses fatores.

   Assim, o exame pode ser feito de forma automatizada, porém em muitas emergências o exame será realizado manualmente por não possuir o equipamento; Então, aqui fica a  técnica para vocês:

Material necessário:
Pipetas
Tubos de ensaio
Ponteiras
Reagentes TAP/ PTT / cloreto de cálcio
Cronômetro
Plasma do paciente / tubo azul, citrato.
Banho maria

TAP (TEMPO DE PROTROMBINA ATIVADA)


Em um tubo de ensaio, coloque 200 microlitros do reativo TAP e coloque no banho maria por cinco minutos.

Decorrido o tempo, pipete no reagente aquecido 100 microlitros do plasma do paciente e dê start no cronômetro e pause-o no momento em que houver a coagulação.

É importante que o exame seja feito em local claro para que possibilite a boa visão.


PTT (TEMPO DE PROTROMBINA)


Em um tubo de ensaio adicione 100 microlitros do plasma do paciente + 100 microlitros do reativo PTT.

Coloque o tubo no banho maria por cinco minutos.

Decorrido o tempo, pipete 100 microlitros de cloreto de cálcio no tubo do plasma+reativo PTT e dê start no cronômetro e conte os segundos.  
 

        



O Que é  I N R?
 
INR significa Razão Normalizada Internacional, um padrão internacional no qual a coagulação pode ser comparada.
A taxa de coagulação do sangue normal é fixado num valor de 1.

O INR é Usado?

Por várias condições pode ser importante que o sangue seja mantido mais fino, com menos probabilidade de coagular.
Por exemplo, se os pacientes têm válvulas cardíacas artificiais, pode facilmente formar coágulos nas válvulas cardíacas. Mantendo os sangue mais fino, o risco de ocorrer um coágulo é menor.
Outra razão para manter a anticoagulação em nível sanguino mais fino por exemplo, são as palpitações (fibrilação atrial). Com o sangue não bombeado bem através do coração, há também um risco de formação de coágulos.
Os pacientes que estão em maior risco de formação de coágulos no sangue são tratados com anticoagulantes.

 

Diluentes de Sangue

Existem diferentes tipos de anticoagulantes de sangue. Um muito conhecido é a aspirina, que não proporciona uma maior elevação do INR.
Com a aspirina a taxa que indica a formação de coágulos de sangue permanece quase normal.
A Cumarina assim como a Varfarina garante que o sangue demore mais tempo a coagular. Essas drogas devem sempre ser dosado com cuidado.
E alguns países, os pacientes usam diluentes de sangue, para controlar o risco de trombose.
Através da medição do nível do INR é que se pode calcular a dosagem da medicação a ser utilizada.

INR demasiado Elevado

Se o sangue ficar muito fino, o usuário de anticoagulante corre um elevado risco de hemorragia, o que pode ser muito perigoso. Especialmente em pacientes que muitas vezes caem, por exemplo, os idosos que têm dificuldade em andar, este risco deve ser cuidadosamente avaliado.

Valores Normais

Normalmente, sem tomar a medicação para a coagulação, o INR 1.0
É difícil manter o INR exatamente em um valor exato, geralmente varia um pouco mas é importante manter entre   o minimo e o máximo estipulado pelo seu medico.
Dependendo do tipo de doença para a qual um anticoagulante é utilizado, procura-se um valor de INR entre 2,0 e 4,0.