segunda-feira, 24 de outubro de 2011

O Álcool e o Organismo





ÁLCOOL X ORGANISMO


QUEM LEVA A MELHOR ?


O álcool é absorvido principalmente no intestino delgado, e em menores quantidades no estômago e no cólon. A concentração do álcool que chega ao sangue depende de fatores como: quantidade de álcool consumida em um determinado tempo, massa corporal, e metabolismo de quem bebe, quantidade de comida no estômago. Quando o álcool já está no sangue, não há comida ou bebida que interfira em seus efeitos. Os efeitos do álcool dependem de fatores como: a quantidade de álcool ingerido em determinado período, uso anterior de álcool e a concentração de álcool no sangue. O uso do álcool causa desde uma sensação de calor até o coma e a morte dependendo da concentração que o álcool atinge no sangue. Os sintomas que se observam são:

- Doses até 99mg/dl: sensação de calor/rubor facial, prejuízo de julgamento, diminuição da inibição, coordenação reduzida e euforia;

- Doses entre 100 e 199mg/dl: aumento do prejuízo do julgamento, humor instável, diminuição da atenção, diminuição dos reflexos e incoordenação motora;

- Doses entre 200 e 299mg/dl: fala arrastada, visão dupla, prejuízo de memória e da capacidade de concentração, diminuição de resposta a estímulos, vômitos;

- Doses entre 300 e 399mg/dl: anestesia, lapsos de memória, sonolência;

- Doses maiores de 400mg/dl: insuficiência respiratória, coma, morte.

Um curto período (8 a 12 horas) após a ingestão de grande quantidade de álcool pode ocorrer a "ressaca", que caracteriza-se por: dor de cabeça, náusea, tremores e vômitos. Isso ocorre tanto devido ao efeito direto do álcool ou outros componentes da bebida. Ou pode ser resultado de uma reação de adaptação do organismo aos efeitos do álcool.

A combinação do álcool com outras drogas (cocaína, tranqüilizantes, barbituratos, antihistamínicos) pode levar ao aumento do efeito, e até mesmo à morte.

O efeitos do uso prolongado do álcool são diversos. Dentre os problemas causados diretamente pelo álcool pode-se destacar doenças do fígado, coração e do sistema digestivo. Secundariamente ao uso crônico abusivo do álcool, observa-se:

a. perda de apetite,

b. deficiências vitamínicas,

c. impotência sexual

d. irregularidades do ciclo menstrual.

Observações :


Ação do Álcool em Alguns Órgãos


A. No Sistema Cárdio Vascular :

O uso sistemático do álcool pode ser danoso ao tecido do coração e elevar a pressão sangüínea causando palpitações, falta de ar e dor no tórax.

B. Glândulas:

As glândulas são muito sensíveis aos efeitos do álcool, causando sensíveis problemas no seu funcionamento.

Impotência e perda da libido. O indivíduo alcoolista pode ter atrofiados testículos, queda de pêlos além de gincomastias(mamas crescidas).

C. Sangue:

O álcool torna o individuo propício às infecções, alterando o quadro de leucócitos e plaquetas, o que torna freqüente as hemorragias.

A anemia é bastante comum nos alcoolistas que têm alterações na série de glóbulos vermelhos, o que pode ser causado por desnutrição (carência de ácido fólico).

Definição de Alcoolismo para a OMS

Alcoolismo é doença (OMS):

É o que a medicina afirma, mas a maior dificuldade das pessoas é entender como isso funciona. Alguns acham que é falta de vergonha; outros, que é falta de força de vontade, personalidades desajustadas, problemas sexuais, brigas familiares, etc.; outros, até, que é coisa do "capeta", outros acham que leva algum tempo para desenvolver tal "vício". A verdade é que algumas pessoas nascem com o organismo predisposto a reagir de determinada maneira quando ingerem o álcool. Aproximadamente dez em cada cem pessoas nascem com essa predisposição, mas só desenvolverão esta doença se entrarem em contato com o álcool.

Observação :

O alcoolimo não é hereditátio:

Apesar do alcoolismo não ser hereditário existe uma predisposição orgânica para o seu desenvolvimento, sendo, então, o alcoolismo transmissível de pais para os filhos. O desenvolvimento do alcoolismo envolve três características: a base genética, o meio e o indivíduo. Filhos de pais alcoólatras são geneticamente diferentes, porém, só desenvolverão a doença se estiverem em um meio propício e/ou características psicológicas favoráveis.



Atenção :


Beber Cerveja Protege o Coração ?



Os efeitos do álcool sobre o coração são diversos :

- O abuso do álcool pode ser associado com insuficiência cardíaca de várias maneiras diferentes, sendo a miocardiopatia alcoólica a mais comum doença cardíaca relacionada ao álcool. Por outro lado, o consumo de álcool em quantidades moderadas já se demonstrou benéfico, existindo uma associação inversa entre o uso moderado de bebida alcoólica e as doenças das artérias coronárias.


Um pouco de História


No ano de 1972 o epidemiologista da Universidade de Harvard, Carl Seltzer, ao examinar informações do Framingham Heart Study, verificou que as pessoas que ingeriam bebida alcoólica tinham menos doenças cardíacas do que os abstêmios. O projeto Framingham foi o primeiro de muitos estudos a identificar que o uso moderado do álcool era um agente profilático contra as doenças cardíacas.

Hoje, mais de 40 estudos clínicos já foram capazes de comprovar este fato. Os resultados destes vários trabalhos demonstram que as pessoas que consomem até três doses de bebidas por dia apresentam uma diminuição do risco de contrair doença coronária na faixa de 10% a 40% , em relação às pessoas que não bebem.

Esta redução geralmente é atribuída aos efeitos benéficos do álcool nos lípides e em relação aos fatores da coagulação. Por outro lado, sabe-se que o vinho tinto aumenta o nível de compostos antioxidantes no sangue de forma rápida. Esta informação foi recentemente corroborada por pesquisadores australianos, da Universidade do Oeste da Austrália em Perth, na edição de janeiro de 2000 da revista American Journal of Clinical Nutrition.

O vinho tinto tem sido considerado como sendo potencialmente cardioprotetor por conter compostos fenólicos, que inibem a oxidação do LDL (colesterol de baixa densidade, o chamado "mau colesterol") in vitro. Permanece a controvérsia, entretanto, se os efeitos protetores ocorrem apenas em determinadas bebidas, como no caso do vinho tinto, ou relacionam-se especificamente ao etanol.

Fonte:

http://www.virtual.epm.br/material/tis/curr-bio/trab99/alcool/alcoolorganismo.htm

http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3088&ReturnCatID=357

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário