segunda-feira, 3 de outubro de 2011

O que é CCIH ?

Infecção Hospitalar

e suas Fases na Área da Saúde


Parte

Para reduzir os riscos de ocorrência de infecção hospitalar, um hospital deve constituir uma Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), que é responsável por uma série de medidas como o incentivo da correta higienização das mãos dos profissionais de saúde; o controle do uso de antimicrobianos, a fiscalização da limpeza e desinfecção de artigos e superfícies, etc.

Essa comissão deve:

1. desenvolver ações na busca ativa das infecções hospitalares;

2. avaliar e orientar as técnicas relacionadas com procedimentos invasivos;

3. participar da equipe de padronização de medicamentos;

4. prevenir e controlar as infecções hospitalares;

5. controlar a limpeza da caixa de água;

6. controlar o uso de antibiótico;

7. implantar e manter o sistema de vigilância epidemiológica da infecções hospitalares;

8. elaborar treinamentos periódicos das rotinas do CCIH;

9. manter pasta atualizada das rotinas nas unidades;

10. executar busca ativa aos pacientes com infecção;

11. fazer análise microbiológico da água.

Observações:

- -Programa de controle de infecção (PCI)

Conjunto de definições, normas e atuações para diagnostico e prevenção de infecções adquiridas em unidades de cuidados de saúde (incluindo hospitais, casas de repouso, clínicas e consultórios)

- Comissão de controle de infecção hospitalar (CCIH)

Comissão responsável pela determinação do PCI em hospitais


2ª Parte

Objetivo da CCIH



A CCIH tem o objetivo não somente de prevenir e combater à infecção hospitalar, beneficiando dessa maneira toda a população assistida, mas também proteger o hospital e o corpo clínico. Deve manter arquivados documentos que comprovem a legalidade de sua existência, rotinas de sua funcionabilidade, protocolos que orientem o tratamento mais adequado efetivado ao paciente e sobretudo dados estatísticos que demonstrem os índices de infecção do hospital, para que, solicitados judicialmente, possam ser comprovados, mantendo estes índices de infecção dentro dos limites aceitáveis, comparativamente.

A legislação básica sobre infecção hospitalar, regulamentando a criação das CCIH, permite o estabelecimento de medidas de acordo com as particularidades do hospital. Medidas no combate à infecção para o grande hospital, com enorme corpo clínico e atendimento em todas as áreas médicas, evidentemente mais suscetível às infecções, podem ser diferentes das do pequeno hospital, com menor corpo clínico e especializado; entre estes extremos, têm-se as inúmeras variáveis.


Parte

Qual a finalidade de uma Comissão de Controle de Infecção Hospitalar?

Uma Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) possui profissionais que deverão executar as seguintes tarefas:

a- Detectar casos de infecção hospitalar, seguindo critérios de diagnósticos previamente estabelecidos.

b- Conhecer as principais infecções hospitalares detectadas no serviço e definir se a ocorrência destes episódios de infecção está dentro de parâmetros aceitáveis. Isto significa conhecer a literatura mundial sobre o assunto e saber reconhecer as taxas aceitáveis de infecção hospitalar para cada tipo de serviço.

c- Elaborar normas de padronização para que os procedimentos realizados na instituição sigam uma técnica asséptica (sem a penetração de microrganismos), diminuindo o risco do paciente adquirir infecção.

d- Colaborar no treinamento de todos os profissionais da saúde no que se refere à prevenção e controle das infecções hospitalares.

- Realizar controle da prescrição de antibióticos, evitando que os mesmos sejam utilizados de maneira descontrolada no hospital.

e- Recomendar as medidas de isolamento de doenças transmissíveis, quando se trata de pacientes hospitalizados.

f- Oferecer apoio técnico à administração hospitalar para a aquisição correta de materiais e equipamentos e para o planejamento adequado da área física das unidades de saúde.


4ª Parte

Quem são os profissionais que participam de uma CCIH?

Resp:

É necessário que os profissionais que participam de uma CCIH possuam treinamento para a atuação nesta área. Há exigência legal para manutenção de pelo menos um médico e uma enfermeira na CCIH de cada hospital. Isto está regulamentado em portaria do Ministério da Saúde.

Outros profissionais do hospital também devem participar da CCIH. Eles contribuem para a padronização correta dos procedimentos a serem executados. Estes profissionais devem possuir formação de nível superior e são:

-farmacêuticos,

-microbiologistas,

-epidemiologistas,

-representantes médicos da área cirúrgica,

-clínica e obstétrica.

Representantes da administração do hospital devem atuar também na CCIH para colaborar na implantação das recomendações.

Por que a lavagem de mãos é importante na prevenção de infecções hospitalares?

A lavagem de mãos é a arma mais importante e econômica na prevenção das infecções hospitalares. Ela impede que microrganismos presentes nas mãos dos profissionais de saúde sejam transferidos para o paciente.

A infecção de um paciente pode ser transmitida de um paciente para outro (infecção cruzada), caso a lavagem de mãos não seja praticada.

Por que não se devem comparar taxas de infecção hospitalar entre hospitais?

Cada hospital possui uma clientela diferente e variados níveis de atendimento. Dentro de um mesmo hospital o risco de adquirir infecção hospitalar também varia, de acordo com os diversos serviços e procedimentos realizados. Só um profissional qualificado pode reconhecer as circunstâncias que permitem a comparação entre serviços. Caso contrário, as taxas de infecção hospitalar tornam-se um número sem sentido, podendo parecer muito ou pouco, conforme o entendimento pessoal, porém sem base científica.


5ª Parte

Resp:

Todos os hospitais devem possuir Comissão de Controle de Infecção Hospitalar?

Resp:

Segundo a portaria do Ministério da Saúde n. 2616, de 1998, todos os hospitais devem possuir uma Comissão de Controle de Infecção Hospitalar.


6ª Parte

Resumindo temos:

Composição da CCIH

CCIH

Comissão multidisciplinar que deve contar com os membros efetores e representante(s) de:

- Administração

- Corpo clínico

- Enfermagem

- Educação continuada

- Laboratório de microbiologia

- Farmácia

- Medicina do trabalho

- De acordo com as características da instituição profissionais de outras áreas podem se somar.

Membros efetores

- Um enfermeiro em dedicação exclusiva para cada 200 leitos;

- No mínimo um médico, preferencialmente infectologista, com dedicação diária mínima de 4 horas;

- Profissionais de outras categorias podem se somar ;

- Profissionais adicionais devem ser alocados de acordo com o nível de complexidade da instituição

Bibliografia:

a. http://www.cve.saude.sp.gov.br/htm/ih/if_publico.htm

b. http://pt.wikipedia.org/wiki/CCIH

c. http://www.cih.com.br/defini%C3%A7%C3%B5es.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário